Engenharia Civil

ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL, BACHARELADO


Políticas institucionais no âmbito do curso
O Projeto Pedagógico Institucional da Faculdade de Primavera tem como política de ensino o oferecimento de cursos concebidos com a finalidade de proporcionar aos egressos uma sólida formação para o mercado de trabalho, amparada por embasamento teórico e prático, que possibilite condições para adquiram uma visão abrangente da realidade em que atuarão.
O Projeto Pedagógico Institucional está estruturado e desenvolvido para atender à missão da instituição e dos cursos, cujo desempenho e conhecimento atualizados permitem contribuir de modo eficaz para o desenvolvimento sócio-econômico-cultural.                  
 A Faculdade de Primavera, ciente das suas responsabilidades sociais, tem por finalidade a transformação da realidade onde está inserida, através da geração e difusão do conhecimento, orientando suas ações de acordo com os paradigmas de excelência e qualidade almejados pelas organizações e pela sociedade.
Antecipa-se quando oferece, com base na análise de cenários futuros, cursos regulares, de extensão e programas diferenciados, essenciais para a formação de um novo profissional.Assim, estruturar a proposta pedagógica pressupõe traduzir princípios ideológicos, filosóficos, políticos, econômicos e pedagógicos em normas de ação; isto é, prescrições educativas na forma de um instrumento que guie e oriente a prática educativa cotidiana. E é esta ação que cria a identidade da instituição.
As atividades educativas respondem a uma finalidade intencional e necessitam de um plano de ação determinado. Entendemos que estas atividades são todas aquelas promovidas pela instituição e relacionadas com atividades acadêmicas, que acontecem dentro do espaço escolar ou fora dele. Os agentes educativos são, portanto, o corpo docente da instituição educacional, coordenadores, diretores, funcionários e alunos. Dessa forma, essas atividades educativas estão a serviço do projeto político-pedagógico institucional.
As políticas para o ensino encontram-se ratificadas nos projetos pedagógicos dos cursos, fundamentadas na iniciação científica e estudos realizados a partir de dados e informações obtidos junto a órgãos e institutos de pesquisa públicos e privados, de artigos, teses e livros sobre o perfil local e regional. Essas pesquisas revelaram-se necessárias à definição e a formatação dos pressupostos e preceitos a serem praticados pela Instituição, ao mesmo tempo em que reforçaram a percepção do próprio perfil profissiográfico e, consequentemente, da definição curricular de cada curso.
Neste sentido, o projeto pedagógico de cada curso ofertado, busca destacar a preocupação com a qualidade de ensino em todas as suas dimensões, associado à formação e desenvolvimento do aluno e do profissional, enfatizando a competência teórica, suas aplicações práticas e suas habilidades interpessoais e sociais, através do compromisso da Faculdade de Primavera para com a comunidade e, especialmente, para com a realidade que se desenha com as novas dimensões e realidades dos mercados e das próprias organizações.
A Faculdade de Primavera se compromete, periodicamente, com a revisão dos projetos pedagógicos dos cursos, sua discussão e análise, envolvendo o corpo docente, discente, funcionários e dirigentes, na expectativa de melhor atender às características e demandas regionais.
A instituição se propõe a realizar estruturação e orientação pedagógica, solicitando aos seus agentes educativos que reflitam sobre suas práticas, que dialoguem e que construam uma parceria inteligente. A partir do exercício de reflexão, mudanças serão introduzidas e novas práticas serão incorporadas.
Ratifica-se no ato de aprender e ensinar o estabelecimento de interações entre instituição de ensino e alunos, a troca de saberes e a construção de novos conhecimentos. Quem aprende e ensina utiliza as experiências e os instrumentos cognitivos que possui para dar interpretação subjetiva ao novo conhecimento que se apresenta. Ou seja, em cada pessoa o resultado do processo do conhecimento será distinto, levando-a a interpretar a realidade também de uma forma diferente, pois apesar de ter compartilhado com os outros os mesmos elementos, há determinadas características que são únicas e pessoais.
No que diz respeito ao ensino, a instituição tem como preocupação principal acompanhar o aluno, garantindo-lhe compreensão e entendimento das premissas da formação polivalente, através da averiguação das potencialidades individuais e coletivas e da orientação da aprendizagem, assegurando sua própria formação e desenvolvimento como cidadão ativo e profissional, de construção e disseminação de conhecimento, favorecendo sua iniciação científica, para imergir na realidade dos mercados.
Assim, a Faculdade de Primavera procura focar suas políticas de ensino segundo perspectiva que prioriza:
•desenvolvimento curricular contextualizado e circunstanciado;
•busca da unidade entre teoria e prática;
•integração entre ensino e extensão;
•promoção permanente da qualidade de ensino.
As políticas de ensino da Faculdade de Primavera fundamentam-se em um processo educativo que favorece o desenvolvimento de profissionais capacitados para atenderem as necessidades e expectativas do mercado de trabalho e da sociedade, com competência para formular, sistematizar e socializar conhecimentos em suas áreas de atuação. São princípios básicos dessas políticas:
•formação de profissionais na área da Educação, Ciências Sociais Aplicadas e Engenharias;
•cuidado e atenção às necessidades da sociedade e região no que concerne à oferta de cursos e programas para a formação e qualificação profissional;
•valorização e priorização de princípios éticos;
•flexibilização dos currículos de forma a proporcionar ao aluno a maior medida possível de autonomia na sua formação acadêmica;
•atualização permanente dos projetos pedagógicos, levando-se em consideração as Diretrizes Curriculares e as demandas da região onde a Instituição está inserida.
Esta forma de pensar exige a incorporação de uma nova pedagogia, fundamentada numa concepção mais crítica das relações existentes entre educação, sociedade e trabalho. Assim, compreender criticamente a educação implica em reconhecê-la como uma prática inscrita na sociedade e determinada por ela; implica ainda, entender que, embora condicionada, a educação pode contribuir para transformar as relações sociais, econômicas e políticas, à medida que conseguir assegurar um ensino de qualidade, comprometido com a formação de cidadãos conscientes de seu papel na sociedade.
A pedagogia que se inspira nessa concepção de educação, sem desconsiderar os condicionantes de ordem política e econômica interessada em introduzir no trabalho docente elementos de mudanças que garantam a qualidade pretendida para o ensino, é coerente com esse pressuposto, e busca garantir ao aluno o acesso pleno ao conhecimento.
A compreensão acerca do processo de elaboração do conhecimento implica a superação da abordagem comportamentalista da aprendizagem. Consequentemente, os métodos de ensino passam a fundamentar-se nos princípios da psicologia cognitiva, que privilegia a atividade e iniciativa dos discentes. Os métodos utilizados, além de propiciar o diálogo, respeitar os interesses e os diferentes estágios do desenvolvimento cognitivo dos alunos, favorecem a autonomia e a transferência de aprendizagem, visando não apenas o aprender a fazer, mas, sobretudo, o aprender a aprender.


Objetivos do Curso
Em conformidade ao Art. 4º da Resolução CNE/CSE nº11 de 11/3/2002, visando dotar o profissional em engenharia dos conhecimentos, competências e habilidades para formação do engenheiro e exercício da função, o presente projeto apresenta os seguintes objetivos:
•Aplicar conhecimentos matemáticos, científicos, tecnológicos e instrumentais à Engenharia;
•Projetar e conduzir experimentos e interpretar resultados;
•Conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e processos;
•Planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos e serviços de engenharia;
•Identificar, formular e resolver problemas de engenharia;
•Desenvolver e/ou utilizar novas ferramentas e técnicas;
•Supervisionar a operação e a manutenção de sistemas;
•Avaliar criticamente a operação e a manutenção de sistemas;
• Comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e gráfica;
•Atuar em equipes multidisciplinares;
• Compreender e aplicar a ética e responsabilidade profissionais;
•Avaliar o impacto das atividades da engenharia no contexto social e ambiental;
• Avaliar a viabilidade econômica de projetos de engenharia;
•Assumir a postura de permanente busca de atualização profissional.
Objetivos gerais
Contribuir para a valorização cada vez maior da profissão e da qualidade das atividades de análise e síntese dos processos de produção no Brasil, formando engenheiros civis altamente capacitados e qualificados ao exercício profissional, com habilidades e competências necessárias para o exercício das funções de gestão e de tomada de decisão. Os engenheiros civis formados pela Faculdade de Primavera deverão adquirir, ao longo de sua formação, habilidades de liderança e de empreendedorismo, fundamentados em princípios éticos.
Espera-se do educando a capacidade de aplicar os conhecimentos adquiridos na elaboração de projetos na área de Engenharia Civil e afins e de analisar e avaliar criticamente novos problemas de engenharia em seus aspectos técnicos, sociais, ambientais e econômicos, sempre levando em consideração a ética profissional. Isto para formar um profissional capaz de tomar decisões, com habilidade de atuar e gerenciar grupos profissionais multidisciplinares, nas áreas de projeto e execução.
Objetivos específicos
Preparar profissional capacitado para atender às necessidades e expectativas do mercado de trabalho e da sociedade, com competência para formular, sistematizar e socializar conhecimentos em suas áreas de atuação através de uma formação quantitativa e qualitativa, científico-tecnológica e humanista. Esse profissional será assim dotado de raciocínio crítico, lógico, matemático e ético, o que o qualificará para promover e administrar mudanças nos processos de produção, comprometido com o desenvolvimento nacional, preparado para trabalhar em organizações públicas ou privadas. Nesse sentido, os objetivos específicos são:
•Proporcionar visão ampla e abrangente dos processos, bem como dos agentes sociais, econômicos, jurídicos e institucionais que interagem com os mesmos;
•Prover o aluno de conhecimentos teóricos e práticos avançados para exercer suas funções tanto em nível nacional como internacional, de forma condizente com a demanda emergente imposta ao profissional de Engenharia Civil na economia global;
•Desenvolver e aprimorar no aluno a capacidade de análise crítica das diferentes variáveis científicas, tecnológicas, econômicas, sociais e políticas inerentes às atividades múltiplas da Engenharia Civil, de forma que lhe permita atuar positivamente na gestão e na tomada de decisão;
• Desenvolver capacidade e preparo para assimilar a cultura e formular objetivos estratégicos organizacionais de interesse para a Engenharia Civil;
•Formar o aluno para agir dentro dos princípios éticos, morais e legais, promovendo o bom relacionamento humano e a valorização cada vez maior da profissão de Engenharia Civil. Esses objetivos reafirmam os compromissos institucionais em relação à qualidade do ensino e da extensão, na formação do perfil do egresso. A operacionalização dos objetivos específicos do Curso de Engenharia Civil da Faculdade de Primavera se dará com a implantação e consolidação de seu curso.
Regime Escolar
Semestral
Vagas Semestrais
100 vagas (noturno)
Turno de Funcionamento
Noturno, com estágios e trabalhos extracurriculares no período diurno.
PERFIL DO EGRESSO
O perfil dos egressos de um curso de engenharia compreenderá uma sólida formação técnico-científica e profissional geral que o capacite a absorver e desenvolver novas tecnologias, estimulando a sua atuação crítica e criativa na identificação e resolução de problemas, considerando seus aspectos políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais, com visão ética e humanística, em atendimento às demandas da sociedade.
Atribuições Inerentes ao Exercício Profissional
O exercício da profissão do Engenheiro Civil é regulamentado pela Lei Federal n. 5.194, de 24 de dezembro de 1966. O artigo 7º da referida lei estabelece as atividades e atribuições profissionais, que consistem em:
• Desempenho de cargo, funções e comissões em entidades estatais, paraestatais, autárquicas de economia mista e privada;
• Planejamento e projeto, em geral de regiões, zonas, cidades, obras, estruturas, transportes, exploração de recursos naturais e desenvolvimento da produção industrial e agropecuária;
• Estudos, projetos, análises, avaliações, vistorias, perícias, pareceres e divulgação técnica;
• Ensino, pesquisas, experimentação e ensaios;
• Fiscalização de obras e serviços técnicos;
• Direção de obras e serviços técnicos;
• Execução de obras e serviços técnicos;
• Produção técnica especializada, industrial ou agropecuária.
Além disso,a lei ainda estabelece que o Engenheiro Civil poderá exercer qualquer outra atividade que por sua natureza, se inclua no âmbito de sua profissão.
Competências e Habilidades
Para atingir os objetivos propostos nas Diretrizes Curriculares o Currículo do Curso de Engenharia Civil está estruturado para dar condições a seus egressos para adquirir competências e habilidades para:
I - aplicar conhecimentos matemáticos, científicos, tecnológicos e instrumentais à engenharia;
II - projetar e conduzir experimentos e interpretar resultados;
III - conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e processos;
IV - planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos e serviços de engenharia;
V - identificar, formular e resolver problemas de engenharia;
VI - desenvolver e/ou utilizar novas ferramentas e técnicas;
VI - supervisionar a operação e a manutenção de sistemas;
VII - avaliar criticamente a operação e a manutenção de sistemas;
VIII - comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e gráfica;
IX - atuar em equipes multidisciplinares;
X - compreender e aplicar a ética e responsabilidade profissionais;
XI - avaliar o impacto das atividades da engenharia no contexto social e ambiental;
XII - avaliar a viabilidade econômica de projetos de engenharia;
XIII - assumir a postura de permanente busca de atualização profissional.
O curso também está estruturado para proporcionar competências nos campos de atuação profissional preconizados para a modalidade da Engenharia Civil da Resolução CONFEA n. 1010, de 22 de agosto de 2005 (Anexo II):
• Construção Civil;
• Sistemas Estruturais;
• Geotécnica;
• Hidrotécnica;
• Saneamento Básico;
• Tecnologia Hidrossanitária;
• Gestão Sanitária do Ambiente;
• Recursos Naturais;
• Recursos Energéticos;
• Gestão Ambiental.
FORMA DE ACESSO
O ingresso no curso de Engenharia Civil dar-se-á por meio de processo seletivo para alunos que tenham concluído o ensino médio ou equivalente. O processo seletivo será divulgado por edital publicado na imprensa regional, com indicações dos requisitos, condições e sistemática do processo e número de vagas oferecidas. As competências e habilidades exigidas serão aquelas previstas para o terceiro ano do ensino médio, nas três áreas do conhecimento:
  • linguagem, códigos e suas tecnologias;
  • ciências da natureza, matemática e suas tecnologias;
  • ciências humanas e suas tecnologias.
Por razões de ordem didática e/ou administrativa que justifiquem, poderão ser utilizados procedimentos diversificados para ingresso, sendo os candidatos deles, notificados por ocasião de sua inscrição. O acesso ao 2º semestre ou semestre subsequentes para portadores de diploma de curso superior correlato, poderá ocorrer de acordo com a oferta da instituição por meio de análise de currículo e entrevista com os alunos.
ESTRUTURA CURRICULAR
Princípios
A estrutura curricular do curso de Engenharia Civil da Faculdade de Primavera está distribuída semestralmente e pelos núcleos de Conteúdos Básicos (CB), Conteúdos Profissionalizantes (CP) e Conteúdos Profissionalizantes Específicos (CPE). Também estão presentes na matriz curricular o estágio curricular supervisionado obrigatório, as atividades complementares e o trabalho de conclusão do curso.
Disciplinas Básicas
São aquelas disciplinas que compõem o núcleo de Conteúdos Básicos (CB), todas obrigatórias, e correspondendo ao que estabelece a resolução CNE/CES 11, de 11 de março de 2002. O núcleo de conteúdos básicos terá de 30% da carga horária mínima, versará sobre os tópicos que seguem:
I - Metodologia Científica e Tecnológica;
II - Comunicação e Expressão;
III - Informática;
IV - Expressão Gráfica;
V - Matemática;
VI - Física;
VII - Fenômenos de Transporte;
VIII - Mecânica dos Sólidos;
IX - Eletricidade Aplicada;
X - Química;
XI - Ciência e Tecnologia dos Materiais;
XII - Administração;
XIII - Economia;
XIV - Ciências do Ambiente;
XV - Humanidades, Ciências Sociais e Cidadania.
As disciplinas que abordam os conteúdos de Física, Química e Informática, têm laboratórios específicos para a realização de atividades obrigatórias.
Disciplinas Profissionalizantes
São aquelas disciplinas que compõem o núcleo de Conteúdos Profissionalizantes (CP), todas obrigatórias, e correspondendo ao que estabelece a Resolução CNE/CES 11, de 11 de março de 2002. O núcleo profissionalizante deve versar sobre um conjunto coerente dos tópicos apresentados na Resolução, conjunto este a ser definido pela instituição, os quais devem compor 15% da carga horária mínima, sendo os tópicos gerais:
I - Algoritmos e Estruturas de Dados;
II - Bioquímica;
III - Ciência dos Materiais;
IV - Circuitos Elétricos;
V - Circuitos Lógicos;
VI -Compiladores;
VII - Construção Civil;
VIII - Controle de Sistemas Dinâmicos;
IX - Conversão de Energia;
X - Eletromagnetismo;
XI - Eletrônica Analógica e Digital;
XII - Engenharia do Produto;
XIII - Ergonomia e Segurança do Trabalho;
XIV - Estratégia e Organização;
XV - Físico-química;
XVI - Geoprocessamento;
XVII - Geotecnia;
XVIII - Gerência de Produção;
XIX - Gestão Ambiental;
XX - Gestão Econômica;
XXI - Gestão de Tecnologia;
XXII - Hidráulica, Hidrologia Aplicada e Saneamento Básico;
XXIII - Instrumentação;
XXIV - Máquinas de fluxo;
XXV - Matemática discreta;
XXVI - Materiais de Construção Civil;
XXVII - Materiais de Construção Mecânica;
XXVIII - Materiais Elétricos;
XXIX - Mecânica Aplicada;
XXX - Métodos Numéricos;
XXXI - Microbiologia;
XXXII - Mineralogia e Tratamento de Minérios;
XXXIII - Modelagem, Análise e Simulação de Sistemas;
XXXIV - Operações Unitárias;
XXXV - Organização de computadores;
XXXVI - Paradigmas de Programação;
XXXVII - Pesquisa Operacional;
XXXVIII - Processos de Fabricação;
XXXIX - Processos Químicos e Bioquímicos;
XL - Qualidade;
XLI - Química Analítica;
XLII - Química Orgânica;
XLIII - Reatores Químicos e Bioquímicos;
XLIV - Sistemas Estruturais e Teoria das Estruturas;
XLV - Sistemas de Informação;
XLVI - Sistemas Mecânicos;
XLVII - Sistemas operacionais;
XLVIII - Sistemas Térmicos;
XLIX - Tecnologia Mecânica;
L - Telecomunicações;
LI - Termodinâmica Aplicada;
LII - Topografia e Geodésia;
LIII - Transporte e Logística.
Disciplinas Profissionalizantes Específicas
São aquelas disciplinas que compõem o núcleo de Conteúdos Profissionalizantes Específicos (CPE), todas obrigatórias. O núcleo de Conteúdos Específicos constitui em extensões e aprofundamentos dos conteúdos do núcleo profissionalizante e de outros conteúdos destinados a caracterizar modalidades e constituem-se em conhecimentos científicos, tecnológicos e instrumentais necessários para a definição da modalidade da Engenharia Civil.
O Curso de Engenharia Civil oferece disciplinas, que constam da sua Matriz Curricular, que se relacionam com os seguintes tópicos do núcleo de Conteúdos Específicos:
•Construção Civil;
•Geotecnia;
•Hidráulica, Hidrologia Aplicada e Saneamento Básico;
•Sistemas Estruturais e Teoria das Estruturas;
• Transporte e Logística;
•Estágio Curricular;
•Trabalho de Conclusão de Curso;
•Atividades Complementares.
O desenvolvimento do curso
O curso será desenvolvido em 10 semestres, sendo que o aluno, ao ingressar, será automaticamente matriculado no 1º semestre. A estrutura curricular do curso possui conteúdos inter-relacionados com a realidade nacional e internacional.
No curso de Engenharia Civil, o ensino é centrado no aluno, buscando incentivá-lo ao crescimento contínuo e propiciando o desenvolvimento de competências e habilidades a partir de fundamentos científicos, práticos e tecnológicos da sua área. O aluno será estimulado a buscar o conhecimento por si só, devendo participar de trabalhos em grupo, discussões acadêmicas, seminários, visitas técnicas, congressos e similares, realizar estágios, práticas extensionistas, escrever, apresentar e discutir seus trabalhos.
A proposta curricular do Curso de Engenharia Civil foi construída a partir do disposto na RESOLUÇÃO CNE/CES nº 11, de 11/03/2002, que estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Engenharia. A matriz curricular está estruturada em conformidade com a RESOLUÇÃO CNE/CES n. 2, de 18/06/2007, que dispõe sobre carga horária mínima e procedimentos relativos à integralização e duração dos cursos de graduação, bacharelados, na modalidade presencial, que prevê uma Carga Horária (CH) mínima de 3.600 (três mil e seiscentas horas) para graduação em engenharia, como prazo de integralização mínimo previsto de 05 (cinco) anos e no máximo 08 (oito) anos.
Com base no referencial disposto, o Curso de Engenharia Civil a ser ofertado pela Faculdade de Primavera dispõe de uma carga horária mínima de 3.640 (três mil seiscentos e quarenta) horas, com 180 (cento e oitenta) horas de Estágio Supervisionado e 200 (duzentas) horas de Atividades Acadêmicas Complementares.


                                         MATRIZ CURRICULAR


Semestre
Disciplinas
Carga Horária
PRÉ-REQUISITO
1º Semestre
Comunicação e Expressão
80
-
Desenho Técnico I
40
-
Introdução a Engenharia  
40
-
Introdução ao Cálculo
60
-
Metodologia Científica e Tecnológica  
80
-
Química Geral
60
-
Atividades Acadêmicas Complementares
20
-
Total de Horas do Semestre
380


Semestre
Disciplinas
Carga Horária
PRÉ-REQUISITO
2º Semestre
Álgebra Linear I
60
Introdução ao Cálculo
Cálculo I
60
Introdução ao Cálculo
Ciência da Computação
60
-
Ciências Humanas e Sociais
60
-
Desenho Técnico II
60
Desenho Técnico I
Introdução a Administração
60
-
Atividades Acadêmicas Complementares
20
-
Total de Horas do Semestre
380

Semestre
Disciplinas
Carga Horária
PRÉ-REQUISITO
3º Semestre
ÁlgebraLinear II
60
Álgebra Linear I
Cálculo II
60
Cálculo I
Cálculo Numérico
40
Ciência da Computação
Ciências Ambientais
40
-
Física I
120
-
Representação Gráfica Espacial
40
Desenho Técnico II
Atividades Acadêmicas Complementares
20
-
Total de Horas do Semestre
380


Semestre
Disciplinas
Carga Horária
PRÉ-REQUISITO
4º Semestre
Cálculo III
60
Cálculo II
Estatística e Probabilidade
60
-
Física II
80
Física I
Introdução a Ciências dos Materiais
40
-
Introdução a Economia
60
-
Mecânica Geral
60
Física I
Atividades Acadêmicas Complementares
20
-
Total de Horas do Semestre
380


Semestre
Disciplinas
Carga Horária
PRÉ-REQUISITO
5º Semestre
Arquitetura e Urbanismo
60
Representação Gráfica Espacial
Cálculo IV
60
Cálculo III
Fenômeno de Transportes
40
Física II
Física III
80
Física II
Isostática
60
Mecânica Geral
Topografia
60
-
Atividades Acadêmicas Complementares
20
-
Total de Horas do Semestre
380


Semestre
Disciplinas
Carga Horária
PRÉ-REQUISITO
6º Semestre
Eletrotécnica
60
Física III
Hidráulica
60
-
Instalações Elétricas
60
Física III
Mecânica dos Solos I
60
Mecânica Geral
Projetos de Estradas I
60
Topografia
Resistência dos Materiais I
60
Isostática
Atividades Acadêmicas Complementares
20
-
Total de Horas do Semestre
380


Semestre
Disciplinas
Carga Horária
PRÉ-REQUISITO
7º Semestre
Estruturas I
60
Resistência dos Materiais I
Fundações
60
Mecânica dos Solos I
Materiais da Construção I
60
Mecânica dos Solos I
Mecânica dos Solos II
60
Mecânica dos Solos I
Projetos de Estradas II
60
Projetos de Estradas I
Resistência dos Materiais II
60
Resistência dos Materiais I
Atividades Acadêmicas Complementares
20
-
Total de Horas do Semestre
380


Semestre
Disciplinas
Carga Horária
PRÉ-REQUISITO
8º Semestre
Estruturas de Aço
80
Estruturas I
Estruturas de Concreto I
60
Estruturas I
Estruturas II
60
Estruturas I
Hidrologia
60
-
Higiene e Segurança do Trabalho
60
-
Materiais da Construção II
60
Materiais da Construção I
Estágio Supervisionado I
80
Disciplinas até o 7. Semestre
Atividades Acadêmicas Complementares
20
-
Total de Horas do Semestre
480


Semestre
Disciplinas
Carga Horária
PRÉ-REQUISITO
9º Semestre
Aeroportos, Portos e Vias Navegáveis
60
-
Estruturas de Concreto II
60
Estruturas de Concreto I
Estruturas de Madeira
60
Estruturas II
Instalações Hidráulicas e Sanitárias
60
Hidráulica
Pavimentação
60
Projetos de Estradas II
Pontes
60
Estruturas II
Estágio Supervisionado II
100
Disciplinas até o 7. Semestre
Atividades Acadêmicas Complementares
20
-
Total de Horas do Semestre
480


Semestre
Disciplinas
Carga Horária
PRÉ-REQUISITO
10º Semestre
Drenagem
60
Hidráulica
Gerenciamento de Obras na Construção Civil
60
-
Planejamento dos Transportes
60
Projetos de Estradas II
Saneamento Básico
60
Hidráulica
Sistema de Abastecimento de Água
60
Hidráulica
Trabalho de Conclusão de Curso
80
-
Atividades Acadêmicas Complementares
20
-
Total de Horas do Semestre
400


QUADRO SÍNTESE DA CARGA HORÁRIA
HORAS
Total de horas de disciplinas
3.640
Total de horas do Estágio Curricular
180
Total de horas Atividades Acadêmicas Complementares
200
CARGA HORÁRIA TOTAL
4.020